Governo seleciona startups para semana de imersão em Berlim

//Governo seleciona startups para semana de imersão em Berlim

Governo seleciona startups para semana de imersão em Berlim

StartOut Brasil é realizado MDIC, MRE, Apex-Brasil, Sebrae e Anprotec; 15 startups selecionadas participarão da CUBE Tech Fair, feira de tecnologia e empreendedorismo

StartOutBrasil Berlim

Brasília (22 de janeiro) – Estão abertas as inscrições para a segunda missão do StartOut Brasil, programa de internacionalização de startups do governo, que levará até 15 empresas para conhecerem o ecossistema de inovação de Berlim. A missão acontecerá entre os dias 13 e 18 de maio.

As inscrições devem ser feitas em inglês, até 19 de fevereiro, no site do programa. O resultado será divulgado no dia 16 de março.

Para participar do processo seletivo, as startups devem apresentar faturamento, preferencialmente, acima de R$ 500 mil, ou ter recebido algum tipo de investimento. É importante também que as empresas tenham equipe dedicada exclusivamente ao negócio, fluência em inglês e que demonstrem capacidade de se expandir internacionalmente sem comprometer suas operações no Brasil.

As startups selecionadas ganharão dois ingressos para a CUBE Tech Fair, feira de tecnologia e empreendedorismo da Alemanha. O evento acontecerá nos dias 15 e 16 de maio e conectará startups de alta tecnologia de vários lugares do mundo a grandes corporações e investidores.

O StartOut Brasil oferecerá ainda uma passagem de ida e volta para as cinco startups mais bem colocadas no processo seletivo. As demais selecionadas devem arcar com os custos de transporte aéreo. Os gastos com seguro viagem, hospedagem, alimentação e deslocamento para os eventos relacionados à missão são de responsabilidade das startups.

Agenda da missão

Como explica o secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o objetivo do StartOut Brasil é incentivar a internacionalização e competitividade das startups brasileiras. “Queremos que elas já nasçam globais, tendo também em vista o mercado externo e desenvolvendo soluções e modelos de negócios para atenderem desafios globais. Muitas startups já têm tecnologia, mas falta experiência pra negociar. Aí entra a expertise dos diversos parceiros que coordenam esse programa”, destacou.

A agenda da missão é montada, então, para conectar os empreendedores brasileiros aos principais players do ecossistema de inovação do destino da missão. Também são realizadas atividades para promover a prospecção de clientes e investidores.

As empresas participantes da missão em Berlim passarão por um processo de preparação que terá duração de, aproximadamente, dois meses. Nessa fase do programa, os empreendedores terão sessões de consultoria com especialistas em expansão internacional e acesso à trilha para internacionalização de startups na Plataforma “Passaporte para o Mundo” da Apex-Brasil. Também serão promovidos contatos com mentores que têm experiência no mercado alemão.

Durante a missão, além da participarem da CUBE Tech Fair, os empreendedores visitarão aceleradoras, incubadoras e empresas locais. Também está prevista a realização de uma rodada de reuniões com prestadores de serviços locais.

O StartOut Brasil fornecerá ainda um treinamento de pitch internacional e dará apoio para a realização de reuniões com potenciais parceiros de negócios.

Edição passada

Essa será a segunda missão do StartOut Brasil. Em dezembro do ano passado, quatorze empresas participaram de uma semana de imersão no ecossistema de Paris.

Assista ao vídeo da missão realizada em Paris

Os empreendedores apresentaram suas soluções a investidores locais em um demoday realizado pelo programa. Além disso, visitaram a Paris&Co, agência de inovação e empreendedorismo de Paris, e o Le Hub, iniciativa do banco francês Bpi France para fomentar a inovação no país. Também conheceram o Station F, maior campus de startup do mundo, com área de 34 mil m².

Houve um encontro com a equipe da Blablacar, plataforma francesa de compartilhamento de carros em viagens de longa distância. A startup é considerada um “unicórnio”, nome dado a empresas que têm avaliação igual ou superior a US$ 1 bilhão.

A agenda de negócios de cada empresa foi organizada com auxílio de um especialista no mercado francês (matchmaker).

Para Lucas Galvanini, gerente de comércio exterior e marketing da Aya Tech, startup que produz repelente para a roupa, a semana de imersão em Paris foi essencial para organizar a expansão de negócios da empresa.

“A missão foi fantástica. Paris vai ser a Vale do Silício da Europa. E, pelo que aprendemos com a missão do StartOut Brasil, não é um trabalho muito complicado montar e implementar uma startup na França”, destacou.

Essa também é a opinião de Érica Castilho, da empresa de e-commerce N2N Virtual. “Para o empreendedor, é mais vantajoso participar de uma missão organizada pelo governo que tentar montar uma agenda fora do Brasil sozinho. A gente tem muito mais acesso aos players do país e oportunidades de marcar reuniões com investidores e empresários que não teríamos acesso sem o respaldo do governo.”

O programa StartOut Brasil é realizado pelo Ministério de Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Ministério das Relações Exteriores (MRE), Apex-Brasil, Sebrae e Anprotec.

Assessoria de Comunicação Social do MDIC
(61) 2027-7190 e 2027-7198
imprensa@mdic.gov.br

Redes Sociais:
www.twitter.com/mdicgov
www.facebook.com/mdic.gov
www.youtube.com/user/MdicGovBr
www.flickr.com/photos/mdicimprensa
http://pt.slideshare.net/mdicgovbr
https://soundcloud.com/mdic

By | 2018-03-02T18:34:51+00:00 1 de janeiro de 1970|0 Comments

About the Author:

Leave A Comment