(11) 5067-3080 | comercial@wamclog.com.br

Como o coronavírus tem afetado o comércio exterior?

A pandemia do novo Coronavírus não causou impactos apenas à saúde pública. Os resultados também podem ser sentidos economicamente, inclusive em relação ao comércio exterior — e isso vale para a maioria dos países e setores.

Diante da maior crise sanitária do século, é preciso entender como a situação tem mudado para se adaptar a ela. Isso permite elaborar um bom planejamento e, assim, reduzir as mudanças negativas.

Na sequência, veja um panorama de como o Coronavírus afetou e afeta o comércio exterior.

Os atrasos nas entregas ficaram mais comuns no começo da pandemia

Bem no início da explosão de casos da doença pelo mundo, muitos países passaram a focar esforços na fabricação de insumos médicos. Outras atividades se tornaram menos relevantes, o que causou impactos diretos no tempo médio de entrega dos pedidos. Além disso, o alto consumo de certas matérias-primas também afetou a chegada no país de quem já tinha realizado as compras.

Na prática, o período inicial trouxe muitos atrasos e dificuldades para entrar nos países, de forma geral. Com isso, algumas indústrias ficaram desabastecidas de matéria-prima, o que também alterou a exportação, de maneira geral.

Os novos protocolos de higiene e segurança têm sido adotados em vários pedidos

Outra grande mudança causada pela pandemia é a necessidade de aplicação de protocolos voltados para a segurança dos pedidos. Nesse caso, antes que ocorra o desembarque e o transporte até o destino, é comum que sejam feitos testes em superfícies e produtos para avaliar a possibilidade de contaminação.

Também há medidas que envolvem o distanciamento social entre profissionais, o uso de equipamentos extras de proteção e protocolos definidos por cada país. Com isso, importadores e exportadores precisam se adaptar a essas novidades.

A mudança nos preços do comércio exterior é bastante sensível

A pandemia do Coronavírus também é responsável por diversas alterações de preços nessa negociação entre países. No momento mais forte de isolamento social nos países, a produção geral caiu globalmente. Isso levou à queda da demanda por esses produtos, diminuindo as exportações e o valor dos componentes.

Além disso, há de se considerar a flutuação cambial no comércio exterior. O dólar, por exemplo, registrou um avanço de 32,5% em 2020,até junho. Por um lado, isso aumenta o potencial de ganhos dos exportadores, mas mesmo eles usam insumos que estão atrelados à moeda. Com isso, o aumento da cotação pressiona as margens, eleva os preços no mercado interno e afeta o comércio exterior como um todo.

As dificuldades econômicas impostas pelo Coronavírus levam à demanda de atuação qualificada

Com a necessidade de quarentena em praticamente todos os países, a maioria dos locais viu uma queda no crescimento econômico. O Brasil, por exemplo, viu o Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre recuar quase 10%. Para reverter a situação, é preciso agir de forma altamente estratégica.

Uma das melhores maneiras de isso acontecer é com o apoio de profissionais especializados no comércio exterior. Com serviços de agenciamento de carga, desembaraço aduaneiro e até apoio à habilitação nos sistemas, é possível evitar erros, retrabalhos e desperdícios. Como consequência, o investimento feito na qualidade das etapas logísticas pode ser uma forma de recuperar o desempenho perdido.

15O Coronavírus causou uma grande turbulência no comércio exterior, desde atrasos e falta de produtos a problemas com os preços. Para driblar os desafios impostos pela situação, vale a pena contar com o apoio de especialistas, de modo a aproveitar melhor os recursos.

Por falar nessas mudanças, veja o que esperar do setor de logística nos próximos meses!

escort mersin

- escort eskişehir

escort mersin

- escort eskişehir